Portes grátis para compras superiores a 29€ para Portugal continental e a 40€ para Açores e Madeira / Levantamento sem custos no nosso escritório em Lisboa
  Blog

PASTILHAS ELÁSTICAS: Ingredientes, impacto e alternativas

Escrito em 28 de fevereiro de 2021

PASTILHAS ELÁSTICAS: Ingredientes,  impacto e alternativas

HISTÓRIA:

O hábito de mastigar resinas de árvores é bastante antigo e atravessou civilizações.

A versão comercial da pastilha elástica só chegou ao mercado norte-americano em meados do século XIX.

A ação muscular de mascar ajuda à concentração, alivia a tensão e relaxa os músculos. Estas foram algumas das razões que as forças armadas americanas forneceram pastilhas elásticas aos seus soldados a partir da Primeira Guerra Mundial, contribuindo assim para que estas se tornassem cada vez mais populares.

Com o aumento do consumo e a consequente produção em massa, os fabricantes tiveram de procurar novos produtos que substituíssem as resinas naturais e passaram a utilizar “goma base” sintetizada a partir de derivados do petróleo.

Atualmente, são feitas 1,75 triliões de pastilhas elásticas por ano em todo o mundo.

 

INGREDIENTES:

Se reparares, na lista de ingredientes de uma embalagem de pastilha elástica encontras adoçantes, aromatizantes, corantes … e “goma base”, mas e o que significa?

Este é um segredo bem guardado pelos fabricantes que adquiriram o direito de não mencionar a composição detalhada dos seus produtos no rótulo.

No entanto, sabemos que os adeptos das pastilhas elásticas mastigam normalmente misturas de polímeros elastómeros, resinas e parafinas em diferentes combinações.

A mistura mais comum inclui polímeros sintéticos, como a borracha de estireno-butadieno ou o polietileno, com um bocadinho de látex natural!

Mas a investigação não pára e os fabricantes continuam a tentar melhorar os seus produtos.

Na verdade, as grandes companhias mantêm laboratórios só para procurar receitas que sejam mais agradáveis de mastigar, tenham melhor textura e libertem os sabores durante mais tempo.

 

PORQUE É QUE MASCAMOS PASTILHAS ELÁSTICAS?

Comecemos pelo motivo ligado ao stress. Este está intrinsecamente relacionado com a nossa capacidade de resposta, que pode ser de ação e de estímulo ou de fuga e contração.

Um estudo feito pelo investigador australiano Andrew Scholey, em Melbourne, mostra que o hábito de mascar conseguia diminuir a hormona do cortisol entre os participantes do estudo que, no fim, garantiram estar menos stressados e mais alerta.

A isso acrescenta-se o facto de a pastilha contribuir para uma sensação de saciedade.

A comunicação entre o estômago e o cérebro demora cerca de 30 minutos a ser estabelecida, motivo pelo qual devemos comer devagar, pois enquanto a mensagem de que começámos a comer não chega ao cérebro, continuamos a comer, acreditando que estamos com fome. Mascar uma pastilha 10 minutos antes de iniciar uma refeição pode resultar numa transmissão de saciedade mais rápida.

Claro que há quem o faça apenas por uma questão de prazer.

 

IMPACTO:

São atiradas dezenas de milhares de pastilhas elásticas para o chão diariamente e nem imaginamos o impacto que este ato tem na natureza.

São um risco elevado para uma série de animais. Por exemplo, atraídas pelas cores  e pelo cheiro adocicado das pastilhas, as aves são as principais vítimas. Muitas morrem asfixiadas porque os seus bicos ficam colados e outras pela ingestão, por não as conseguirem digerir.

Insetos, sejam voadores ou rastejantes veem as suas vidas comprometidas quando ficam colados.

Em espaços públicos e espaços de lazer, as pastilhas elásticas são uma constante no chão, pois é muito difícil removê-las.

Por isso, sempre que terminares de mascar uma pastilha e não tiveres um caixote de lixo próximo, enrola num papel e guarda-a até encontrares um.

Com esta atitude estarás a salvar animais e a contribuir para uma cidade mais limpa.

O comportamento de cada um de nós faz toda a diferença, e só com uma atitude de respeito pela natureza é que poderemos continuar a desfrutar dela com admiração.

 

ALTERNATIVAS:

Como um dos principais ingredientes das pastilhas elásticas convencionais é um tipo de plástico, e se és fã de pastilhas elásticas...

A Georganics tem a solução!

 
Pastilhas elásticas feitas com goma natural das árvores sapodella e acácia, e aromatizadas com menta inglesa e xilitol.
 
Deixam uma sensação de frescura e ajudam a reduzir as cáries e a placa bacteriana.


×